mas sem deixar de lado a inovação

Ângelo Monteiro toma posse na Academia Pernambucana de Letras Sticky

Nunca houve valorização tão grande do passado quanto nos tempos atuais. Até porque viver só no presente é a negação da história. A contemporaneidade precisa caminhar junto com o aspecto conservador. Essa reflexão marca o ingresso do filósofo e poeta Ângelo Monteiro, 71, em uma instituição cuja função primordial é, na definição dele, “preservar a memória da cultura, sobretudo das criações na língua”. Nesta quinta-feira (27), às 19h, o escritor toma posse da cadeira 34 da Academia Pernambucana de Letras (Avenida Rui Barbosa, 1596, Graças).

Subscrever RSS - mas sem deixar de lado a inovação