MEDITAÇÃO SOBRE AS DUAS BANDEIRAS

Na noite dos Exercícios
tombaste da tua Cruz
para, em jardim de suplícios,
dançares Senhor Jesus.

Entre as Bandeiras perdido
fujo ao fulgor de Satã
mas me vejo entontecido
entre as hostes da manhã.

Em tuas hostes poderosas
minha alma em vão se sustenta.
Também, na haste tenebrosa,
a má Bandeira a afugenta.

O céu vive em pleno inferno:
o seu amor a devora.
Mas, Senhor, do fogo eterno
como libertá-la agora?

Se em Ti está o Juízo,
e a morte e a vida entrincheiras,
eleva-a ao teu Paraíso
além das duas Bandeiras!

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
As Armadilhas da Luz

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.