A CARNE ROGA À CHAMA

A carne de si mesma se embriaga
se do amor foge à trama:
as promessas de luz tornam-se chagas
sobre flores sem rama.

A carne roga à chama que se entregue.
A carne aspira à chama:
chama remida da paixão que cegue
os olhos de quem ama.

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
As Armadilhas da Luz

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.