OFERENDA

Os deuses só se aplacam pelo sangue
o sacrifício dorme e nos espera.

Atrás mesmo da luz abrigam-se armadilhas
nunca o temor se afasta do mais claro dia.

Qualquer anelo é um vôo lento e langue
se distante do porto de nossa alma.

A poesia - lágrima jamais perdida -
alma do mundo que não se encontrou
se existe, nos viola.

E o coração nos morre, mas conquista.

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
As Armadilhas da Luz

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.