AS VISÕES: BREVE

Se amo, amor não me encontra.
Se não amo, amor não falha:
A vida não se dá pronta
Nem a morte se amortalha.

Ai parcas da morte mansa!
É mais manso o próprio amor:
Não a mansidão que cansa
Mas o cálice de ardor.

Todo amor no céu se escreve
E em nossas mãos se abre o céu:
Quem ama do amor se deve
E se encobre do seu véu.

Das sombras do além me invado.
Cerca-me e espreita-me o além:
O campo do mundo é prado
Para o meu Cavalo. Amém

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Exílio de Babel

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.