EU VELAREI POR TI, COMO SE VELA

Eu velarei por ti, como se vela
Uma chama distante contra o vento.
Com dor, com zelo, com pressentimento
Para evitar que cesse o brilho dela.

Eu velarei por ti, como se vela
Acesa no meu peito em sentimento,
A debater-se às voltas com o tormento
Das distâncias que embaçam sua estrela.

Eu velarei por ti, pois sei que a vida
Urdindo a própria trama engendra a graça
Que fundiu a nossa alma antes partida.

Pois é próprio do amor vagar a esmo
Até chegar ao fogo que traspassa
Cada amante perdido de si mesmo.

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Exílio de Babel

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.