A FREDERICO NIETZSCHE

Com a águia e a serpente
No Sol que a montanha alaga

Zaratustra de repente
Conhece a ambição da dádiva.

Por isso ao Sol louva. Ao Sol
Que jorra sua abundância
Sobre o cálice das rosas
E sobre a boca dos pântanos.

Ai da ambição de que sofre
Quem viveu sobre a montanha.

Quem - na direção do Sol -
Com a águia aprendeu o vôo
E com a serpente a lembrança

Do eterno retorno à Terra
E ao verde de sua infância.

Mas por que desce a montanha
Para convocar os homens
A superar esse humano
Que de tão pobre morreu?

No país sáfaro, no deserto
De almas ante seus olhos
- Onde o próprio Deus é morto -
O que fará Zaratustra?

Sim, que fará Zaratustra
- Se a planície é um só calvário -
Em céus onde a águia não voa
E em terras em que a serpente
Já perdeu o itinerário?

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Rapto das Noites ou o Sol como Medida

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.