OS MORTOS ESTÃO SONHANDO

Os mortos estão sonhando
Os santos mortos de ontem
Leves levitam em silêncio
E nos recolhem em seu manto.

E um sol como nunca amplo
Com nossas almas concorda
Sobre o rumor dos seus túmulos
E, além dos muros, do tráfego.

E cresce o sol do que foram
Sobre as ervas que pisamos
Podadas sob a medida
Do sol: pleno e branco campo.

Ante ele e sua lembrança
O que seremos se alonga.
Nossos mortos dos seus túmulos
Como porém são distantes.

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Rapto das Noites ou o Sol como Medida

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.