O CORDEIRO

Luz que mantém o Corpo prisioneiro
Unção do sangue do Crucificado
Constelação de chifres e de lavas
Infinito holocausto do Cordeiro.
Lado da luz varado pela Sombra
Amado e recusado amor mortal
Nuvem cobrindo o Cálice sangrante
Ondina branca em pântano infernal.
Giro de sol num céu sacrificado
Urna de fogo que se nega em cinza
Estrada aberta e virgem sem destino.
Inatingível rota dada à carne
Reta da cruz curvada para o abismo
Altar que sangra ultrapassando a vida.

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Rapto das Noites ou o Sol como Medida

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.