HORO PARA VILLA-LOBOS

Contido subo montes e ladeiras
Meu pequenino sonho
Tão pequenino, que sobra
Na extensão do mundo em que me entranho;

Tão pequenino que se perde
E é difícil reencontrá-lo
Depois de o ter exaurido
Com meu simples hálito.

Meu pequenino sonho
Que eu pus dentro de um nicho
Cercado de roseiras;
Que debalde cerquei de doces anjos
Cujos olhos tão puros
Jamais virei a fitar de novo
Nem mesmo isento de qualquer rubor
Para enfrentá-los.

Meu pequenino sonho
De pátio de colégio de meninas
Quase sem datas gravadas
No solo virgem
Em que sombra nenhuma do mundo
Se projetou
Além do contorno
Das árvores mansas
No quadrado branco
De suas paredes
E do voejar inocente
Das borboletas e pássaros
Que se fixaram na paisagem:
Hóspedes para sempre.

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Rapto das Noites ou o Sol como Medida

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.