LÍNGUA COMUM

O sinal da Besta é senha
Para a compra e para a venda.

Quem não tiver seu sinal
Não olha como eles olham

Nem fala como eles falam
Em sua língua de cobre

(Ou do mais fino alumínio.)
Mas quem a diz menos rica,
Se nós é que somos pobres?

O consumir dessas almas
O consumir desses corpos
Tal consumir quem consuma
Se ele a si próprio se gera?

Que língua além a do mercado
Sobre os mercados da Terra?

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Rapto das Noites ou o Sol como Medida

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.