OS SALVOS

Pelas virtudes eles se salvam.
E por que não nós pelo pecado
- Pelo rei de todos os pecados -
O pecado de ser?

Vê-se que jamais se perderão.
E por que haveriam de se perder
Se emergiram do acaso mas não
Pelas portas do ser?

Que lhes vale o brilhar de fantasmas
Que lhes vale o sugar de morcegos
Se lhes é tão alheio esse sangue
Quanto era alheio o ser?

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Rapto das Noites ou o Sol como Medida

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.