COMUNHÃO POÉTICA

Todos falam a linguagem dos eleitos
                                dantes inacessível
E nada se tornou mais próximo
Que o antigo e áspero caminho do Reino.

À direita de Apolo ou de Jesus
Todos se sentarão
Como apóstolos isentos de martírio.
Não precisam de sol, pois já são luz.
Dispensam qualquer cruz
Pois são donos das quatro direções.

Para o são entendimento de todos
Descreveu-se o sentido inteiro das parábolas:
Tanto para os que o buscam
Como para os que sempre só tiveram costas.
E como não se requerem mais bússolas
- pois há a bússola única e segura - 
Tudo é parábola.
Desterrado o sol noturno das parábolas
Tudo de súbito se fez tão claro
Que todos se tornaram eleitos.

Afunilaram Deus
Para que fosse ampliada a extensão do Céu.
O Céu ficou mais amplo - não há dúvida -
Mas Deus se empobreceu.

E agora, ó mais que sutil e astuta Caridade,
Que tipo de irmãos ao fim de tudo nos reservas
Em tua eternidade?

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Rapto das Noites ou o Sol como Medida

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.