EXPECTAÇÃO No.5

Que somos nós: senão filhos da fraude
dos deuses, que nos fizeram à sua imagem,
quando Deus estava em repouso
e os deuses foram imagens do seu sono?

O repouso de Deus ainda é mais trágico
que a vigília de Deus.
Por causa da perfeição do seu repouso.

O repouso de Deus é impaciente
como a vigília do Homem
desperto sobre a Cruz.
Por causa da clarividência do seu repouso.

Os deuses são imperfeitos e frágeis, mas eternos.
E por isso somos imperfeitos e frágeis, embora não eternos.

Os deuses são inquietos e dolorosos
e por isso somos inquietos e dolorosos
mesmo sem gozar da claridade dos deuses.

Porque somos já criaturas de criaturas
potências das potências desencadeadas
que são os deuses de Deus.

O sofrimento dos deuses é incomunicável:
pois sofrem por sua semelhança com Deus,
conscientes que são de sua origem
sem poderem, jamais, a ela chegar.

O sofrimento dos homens é, porém, maior e mais terrível
porque já são os imperfeitos do Imperfeito,
os inquietos de sua Inquietude,
os seres dos seus Seres projetados:

Espelhos que nós somos
da miragem dos deuses.

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Inquisidor

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.