VIGÉSIMO SEXTO TEMA SEM JÚBILO

Das mãos inquisidoras brotam chamas
que incineram bandeiras e estandartes:
- morrendo os seus brasões o Sonho é morto?

Insígnias, ainda rotas, são estigmas
que doem pelo seu rubro: ou, antes, névoas
que encobrem dor mais rubra que há no homem?

Essas cores erguidas são fronteiras
que nos dividem e sangram: ou combates
contra os medos que habitam nosso sangue?

De que cavernas lúgubres despertam
os dragões e os leões, que sob os timbres
dos brasões incendeiam nossos olhos?

Que química febril urdiu a trama
dos mortais labirintos que vêm deles:
tintos que são de guerra e acerba glória?

Estandartes, que os trazem, nos são carne:
e, se os incineramos, vai-se ao fogo
também o que nos vive e nos destrói?

Das mãos as chamas são interrogantes,
à medida que queimam: ou navegantes
nas ondas desse fogo que interroga?

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Inquisidor

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.