VIGÉSIMO TERCEIRO TEMA SEM JÚBILO

- I -

Pelas filhas cercada, toda em branco,
de que se alegra a dama: se uma chaga
sobre a boca o sorriso lhe desmancha?

Que alvoroço de pranto segue a dama
quando aponta pra chaga: sem que a boca
de ira se macule, embora sangre?

Que vozes se aproximam, tão plangentes,
a convocar o peito que interroga
a dama, a chaga, as filhas, o mistério?

- II -

Entre luzes doentes corre um pálio:
são bispos, muitos bispos flamejantes
numa redoma entoando litanias?

Por que é tão jubiloso o negro coro
que, a aspergir seu perfume lancinante,
parece estradas móveis dar à terra?

Quem teceu esse manto para festas
dos bispos que, na frente, estão em coro
enquanto os carrosséis atrás se elevam?

- III -

Mas que espelhos e máscaras desceram
nos bispos que, de longe, eram dourados
mas que, vistos de perto, são palhaços?

E, depois de em palhaços transformados,
por que então seu dourado é mais imóvel
enquanto os carrosséis atrás mais giram?

E, por que no seu giro transportado,
há quem feliz se eleve, mas temendo
que tombe das alturas seu sapato?

Autor: 
Ângelo Monteiro
Livro: 
O Inquisidor

Comentários

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.